Sorteio do mês de junho Sitio Vale dos Quimicos

- Promoção de Inverno [perfil face, insta e whtas]

Sorteio do mês de junho temos 4 sócios comtemplados com uma kitnet cada no Vale dos químicos!

🚙Sócios da GDBR🚗

Janderson Lucas Gonzaga
Luciana da Silva Torres

🖍Sócios da CEB✏️

João Alves Camargo
Lucineia de Souza Prado

Ganhadores por favor entrar em contato pelo fone 015-3272-3282.

Parabéns aos sorteados, venham curti o inverno ❄️ no Sítio Vale dos químicos em Alambari SP.

 

Convênios para os associados

57129618_2777929042247333_2290575461333336064_nCatraca Agro Comercial.
Rações, vacinas, acessórios e muito mais.
Mais um convênio para os associados – 5% de desconto. Fique sócio e aproveite nossos descontos.

 

 

Desigualdade é a maior em sete anos

desigualdade

Pressionado pela precariedade do mercado de trabalho, índice que mede a concentração de renda sobe há 16 trimestres consecutivos

A situação ainda precária no mercado de trabalho fez a concentração de renda se aprofundar no País ano passado. No quarto trimestre de 2018, a desigualdade, quando observada a renda domiciliar per capita, atingiu o maior patamar em pelo menos sete anos, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) obtido com exclusividade pelo Estadão/Broadcast.

O Índice de Gini do rendimento domiciliar per capita obtido do trabalho subiu de 0,6156 no terceiro trimestre de 2018 para 0,6259 no quarto trimestre do ano, o 16.º trimestre consecutivo de aumento. O Índice de Gini mede a desigualdade numa escala de 0 a 1 – quanto mais perto de 1, maior é a concentração de renda.

O índice de Gini mede a desigualdade numa escala de 0 a 1. Foto: Clayton de Souza/Estadão
No quarto trimestre de 2018, o índice atingiu o maior patamar da série histórica iniciada no primeiro trimestre de 2012. Foi quando a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) começou a ser apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo Daniel Duque, pesquisador do mercado de trabalho no Ibre/FGV, há algumas razões para a piora na desigualdade de renda. Entre elas, estão a dificuldade de trabalhadores menos qualificados aumentarem seus rendimentos e a dinâmica de reajustes do salário mínimo. “Na crise, a probabilidade de estar empregado e ter renda maior depende mais de o trabalhador ter qualificação.

Além disso, o salário mínimo não tem ganhos reais desde 2015”, enumerou Duque, autor do levantamento. “Houve também muita geração de ocupação informal, que tem menores salários. E há um desalento muito grande ainda.”

O salário mínimo não teve ganho real nos últimos anos por causa do encolhimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015 e 2016. Pela regra de reajuste criada ainda nos governos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o reajuste do mínimo de um ano é a soma da inflação (medida pelo INPC) do ano anterior somada à variação do PIB de dois anos antes. Como em 2015 e 2016 o PIB teve variação negativa, o salário mínimo teve reajustes equivalentes apenas à inflação. A regra vale até este ano.

Embora, no ano passado, o número de pessoas trabalhando tenha aumentado, a subutilização da força de trabalho segue elevada, lembrou Thiago Xavier, analista da Tendências Consultoria Integrada. São considerados “subutilizados” os trabalhadores à procura de emprego, os que não procuram uma vaga por acreditar que não encontrariam emprego ou os que estão ocupados, mas trabalhando menos horas do que poderiam ou gostariam, ganhando menos por isso.

“Precisa ter uma reação do mercado de trabalho (para reduzir a desigualdade)”, defendeu Xavier. “Precisa de geração de vagas formais, com salário médio maior, jornadas de trabalho que não fiquem aquém do desejado.”

Saída
O ex-bancário Carlos Cunha dos Santos Jr., de 45 anos, e a vendedora Viviane Almeida, de 46 anos, trabalham juntos há seis meses numa carrocinha de suco de laranja, no Centro do Rio. Viviane é gaúcha, está radicada no Rio há sete anos e já trabalhou como cabeleireira e balconista. “Está difícil conseguir emprego, e trabalhar na rua foi uma forma que arrumei para me manter”, disse Viviane.

Segundo Santos Jr., o negócio está dando certo, mas eles estão apreensivos em relação à demanda nos meses de menos calor. Com a carrocinha de suco, a dupla tem conseguido tirar cerca de R$ 4 mil a R$ 5 mil por mês para dividir.

Fonte: O Estado de S.Paulo

Centrais se reúnem nesta terça (15) para definir pauta de ações em 2019

As Centrais Sindicais se reúnem nesta terça (15), às 14h30, em São Paulo. Entre os assuntos da pauta está a ameaça de votação da reforma da Previdência no início da próxima legislatura, além dos atos do governo que extinguiu o Ministério do Trabalho e quer acabar com a Justiça trabalhista.

Os dirigentes pretendem retomar os trabalhos e traçar estratégias de diálogo com governo e Congresso Nacional. A Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora, definida em junho de 2018, será referência para as discussões.

“As Centrais querem retomar os trabalhos e a Agenda poderá até ser melhorada e atualizada. Essa será a primeira reunião das entidades. A ideia é estabelecer um calendário de lutas, mobilizações e discussões diante do novo governo e com o início das atividades da Câmara e do Senado”, disse à Agência Sindical o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio.

Unidade – Para o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves (Juruna), é preciso preparar o movimento sindical para este ano. O dirigente avalia que os embates serão muito duros, com outros ataques aos direitos trabalhistas.

“A ideia é fazer um planejamento. Vamos discutir propostas para mobilização das Confederações e Federações. Não podemos perder a unidade. Se quisermos dialogar com o governo e com o Congresso, precisamos estar coesos”, afirma Juruna.centrais-3vale

jose

Químicos Itapetininga faz entrega de Panetones aos associados.
Junte-se a nós, juntos somos mais fortes.

Quase mil pessoas seguem desaparecidas após pior incêndio florestal da Califórnia

Restos mortais de 77 pessoas foram recuperados na região atingida pelo Camp Fire, no norte do estado. Outras 3 pessoas morreram no incêndio ativo no sul da Califórnia.

california-incendio-1

Serviços de emergência vasculham os destroços carbonizados do pior incêndio florestal da história do estado norte-americano da Califórnia, buscando sinais das quase mil pessoas que se acredita ainda estarem desaparecidas.

O escritório do xerife do condado de Butte anunciou na noite deste domingo que os restos mortais de 77 pessoas foram recuperados, e que o número de desaparecidos caiu de 1.276 para 993.

Patologistas da Universidade de Nevada de Reno trabalharam durante o final de semana enquanto bombeiros removiam destroços, coletando pedaços de ossos queimados e fotografando tudo que possa ajudar na identificação das vítimas.

O Incêndio Camp irrompeu no norte da Califórnia em 8 de novembro, e na semana passada praticamente arrasou Paradise, cidade montanhosa de quase 27 mil habitantes localizada cerca de 145 quilômetros ao norte da capital Sacramento. Um outro incêndio ativo, mais ao sul do estado, matou outras 3 pessoas. Com isso, no total, o número de vítimas pelos dois incêndios é de 80.

As equipes progrediam no controle das chamas. As autoridades disseram que o Camp Fire consumiu cerca de 60 mil hectares e estava 65% contido na noite de domingo, 5% a mais do que no dia anterior.

Previsão de chuvas

A perspectiva de uma grande tempestade a partir da noite de terça-feira alimenta a esperança de que essa percentagem aumente no decorrer da semana. No entanto, as autoridades disseram que não acreditam conter totalmente o fogo antes de 30 de novembro.

Imagem de 15 de novembro mostra casas destruídas pelo incêndio Camp Fire em Paradise, na Califórnia — Foto: Noah Berger/APImagem de 15 de novembro mostra casas destruídas pelo incêndio Camp Fire em Paradise, na Califórnia — Foto: Noah Berger/AP

Imagem de 15 de novembro mostra casas destruídas pelo incêndio Camp Fire em Paradise, na Califórnia — Foto: Noah Berger/AP

Até 10 centímetros de chuva estão previstos para o norte de San Francisco entre a noite de terça-feira e a sexta-feira, disse Patrick Burke, meteorologista do Centro de Previsões do Serviço Nacional do Clima, em Maryland.

A chuva também tornaria mais difícil para as equipes forenses vasculhar a cinza e a sujeira em busca dos ossos dos mortos. “A chuva perturbará facilmente o solo onde os restos podem ser encontrados”, explicou Burke.

“Embora não seja uma tempestade excepcionalmente forte, os incêndios recentes tornam os deslizamentos de lama em colinas e declives um verdadeiro perigo”, disse Burke.

A tempestade, que deve provocar ventos moderados de 24 a 32 quilômetros por hora, também pode causar problemas para as pessoas que bateram em retirada, centenas das quais estão abrigadas em barracas e carros.

Não está claro quantas pessoas necessitam de abrigo, mas até 52 mil foram obrigadas a se retirar.

Mapa mostra focos de incêndios ativos na Califórnia — Foto: Arte G1Mapa mostra focos de incêndios ativos na Califórnia — Foto: Arte G1

Mapa mostra focos de incêndios ativos na Califórnia — Foto: Arte G1

Mulheres dão aos democratas o controle da Câmara nos EUA

Elas marcharam, correram e no dia da eleição venceram. As mulheres lideraram as vitórias e as surpresas inesperadas nesta terça-feira (6) e ajudaram aos democratas a conquistar o controle da Câmara dos Representantes.

mulheres_eua1127069Por Susan Chira e Kate ZernikeFoi o auge de dois anos de raiva, frustração e ativismo de mulheres impactadas com a eleição e a presidência do republicano Donald J. Trump.As mulheres participaram de grupos de base determinadas a reconquistar o controle democrata sobre a Câmara, e lotaram organizações que as prepararam para concorrer aos cargos. Como candidatas, elas quebraram regras e derrotaram a sabedoria política convencional.Como ativistas, expandiram a definição das questões femininas para além da educação e dos direitos reprodutivos, incluindo assistência médica, imigração, violência armada e proteção do meio ambiente.Foi uma série de conquistas históricos, a maioria deles por democratas: em Massachusetts, Ayanna Pressley se tornou a primeira negra na bancada congressista de seu estado. Rashida Tlaib, em Michigan e Ilhan Omar, em Minnesota serão as primeiras muçulmanas no Congresso. Sharice Davids derrubou um republicano no Kansas e Deb Haaland prevaleceu no Novo México, tornando-se as primeiras indígenas eleitas para o Congresso. No Tennessee, Marsha Blackburn, uma republicana, tornou-se a primeira mulher do estado eleita para o Senado.Mas várias mulheres proeminentes também foram derrotadas – a senadora democrata Claire McCaskill perdeu para o republicano Josh Hawley no Missouri. A democrata Amy McGrath perdeu uma disputada apertada em Kentucky, e a senadora democrata Heidi Heitkamp não foi reeleita em Dakota do Norte. A democrata Stacey Abrams, da Geórgia, que esperava se tornar a primeira mulher negra do país a ser eleita governadora, perdeu para seu oponente republicano, Brian Kemp.A Pensilvânia, que não tinha nenhuma mulher em sua bancada federal de 21 membros, agora terá quatro: Mary Gay Scanlon, Chrissy Houlahan e Susan Wild, além de Madeleine Dean, que também foi eleita.Duas mulheres ajudaram os democratas a conseguir assentos na Flórida: Debbie Mucarsel-Powell e Donna Shalala, integrantes do gabinete do ex-presidente Bill Clinton. A democrata Houlahan foi uma das quatro veteranas e recém-chegadas políticas a ser eleita, na companhia de Mikie Sherrill, em Nova Jersey e Elaine Luria e Abigail Spanberger, na Virgínia. Lauren Underwood, em Illinois, levaram os democratas a outra vitória inesperada.

“Peço-lhe que trabalhe para um futuro melhor muito depois desta noite”, disse Sherrill diante de uma multidão que incluiu dezenas de mulheres que passaram meses na campanha. “As milhares de mulheres que estão prontas para se juntar a mim para garantir que tenhamos um futuro melhor para nossos filhos, para Nova Jersey e para os Estados Unidos da América.”

Ela contou como perguntara a sua filha Maggie, a mais velha dos seus quatro filhos pequenos, se ela estava “O.K. com isso”, e sua filha disse: “Se você não correr, quem vai?’ ”

Era impressionante considerar até que ponto as mulheres haviam chegado desde as marchas das mulheres em todo o país no dia seguinte à posse do presidente Trump. Mulheres como Sherrill e Davids marcharam e suas vitórias pareciam garantidas no dia da eleição.

Com uma maioria democrata na Câmara, as mulheres terão mais poder institucional – espera-se que a deputada Nancy Pelosi vença o desafio de se tornar novamente líder e a única mulher a ocupar esse posto. A deputada Nita Lowey, democrata de Nova York, presidiria o Comitê de Apropriações, e Maxine Waters, democrata da Califórnia, presidiria o Comitê de Serviços Financeiros.

A energia entre as mulheres democratas tornou mais difícil para as mulheres republicanas emergirem como candidatas.

E na primeira grande derrota da noite dos republicanos, Barbara Comstock perdeu por ampla margem para uma democrata, Jennifer Wexton, nos subúrbios da Virgínia.
Segundo dados contados pelo Centro de Mulheres e Política Americanas, 428 mulheres concorreram ao Congresso ou ao governo como democratas, em comparação com 162 republicanas.

As republicanas tinham seus próprios problemas, entre eles a repercussão do movimento #MeToo. Segundo Kelly Dittmar, cientista política da agência de Rutgers, a onda de mulheres mudou a política americana.

“Para algumas mulheres, isso significava não esperar a sua vez”, disse ela. “Para outras, isso também significava concorrer de uma maneira que adotasse o gênero e a raça como um trunfo para a candidatura e a manutenção de escritórios, em vez de um obstáculo que precisam superar para ter sucesso no mundo da política eleitoral masculino.”

Este ciclo ocorreu de forma diferente, ignorando o velho conselho para as candidatas, o de falarem sobre seu currículo e fingir que não tem vida pessoal. Em vez disso, elas apresentaram seus filhos em anúncios, ofereceram testemunho pessoal sobre assédio e abuso sexual e se abriram sobre as lutas familiares contra o vício em drogas e a dívida, para se conectarem com muitos americanos com os mesmos problemas.

Mulheres quebraram recordes e abriram precedentes. Um terço das mulheres eleitas para a Câmara são negras. Um número recorde de mulheres enfrentou outras mulheres, do Arizona a Nova York. Ayanna Pressley, em Massachusetts, e Alexandria Ocasio-Cortez, em Nova York, estavam entre as mulheres que derrotaram homens brancos veteranos nas primárias do partido e se elegeram nesta terça-feira (6).

As candidaturas de Sherrill, McGrath e Katie Hill, que concorriam a vagas na Câmara dos Deputados na Califórnia, arrecadavam quantias espantosas, embora as mulheres ainda ganhassem menos, em média, do que os homens. E as mulheres desempenharam papéis maiores como doadores, dando 36% mais dinheiro para campanhas do Congresso do que em 2016.

A campanha eleitoral de 2018 levantou novas questões sobre gênero e poder que poderiam afetar o resultado de terça-feira para o número recorde de mulheres que buscam o cargo. Aqui estão algumas dessas questões que podem reformular a sabedoria convencional sobre mulheres e política.

O aumento do ativismo político na era Trump trouxe muito mais homens concorrendo a cargos públicos, e muitas das candidatas eram democratas que concorriam em distritos que eram gerrymandered (isto é, manipulados), ou garantiam votos de republicanos. Na Flórida, duas adversárias, Lauren Baer e Mary Barzee Flores, perderam para os republicanos.

Apesar de ser mais da metade da população e dos eleitores, as mulheres ainda eram menos de um terço de todos os candidatos para o Congresso, para governadores e outros cargos executivos estaduais.

As mulheres candidatas a governador, de Idaho ao Texas e ao Maine, enfrentaram os obstáculos mais íngremes de todos. Vinte e dois estados nunca elegeram uma mulher governadora. Seis estados têm governadoras agora. Gretchen Whitmer foi eleita governadora no Michigan, Laura Kelly no Kansas e Michelle Lujan Grisham no Novo México.

Em uma temporada política em que o descontentamento com Washington é alto, muitas mulheres esperam que sua falta de credenciais políticas tradicionais aumentem suas chances: Jahana Hayes, uma ex-professora, foi uma vencedora surpresa de uma primária democrata em Connecticut e na terça-feira (6) tornou-se a primeira mulher negra do estado eleita para o Congresso.

As eleições também levarão uma geração mais jovem a Washington: Ocasio-Cortez, assim como Abby Finkenauer, uma democrata que concorreu a uma vaga na Câmara em Iowa, estão na faixa dos 20 anos de idade.

O presidente Trump foi eleito pelo maior hiato de gênero registrado, e as mulheres se moveram ainda mais para a esquerda durante os dois primeiros anos de sua presidência, mesmo quando os homens gravitaram em torno do Partido Republicano.

Em uma pesquisa da Gallup em setembro, enquanto os homens favoreciam os republicanos contra os democratas, de 50% a 44%, as mulheres preferiram os democratas em 58% a 34%. Essa divisão de 24 pontos aumentou de oito pontos em junho. No início deste ano, uma pesquisa da Pew mostrou que 70% das mulheres da geração Y (jovens nascidos, segundo alguns, desde 1980, e segundo outros, desde 2000) se filiavam ou se inclinavam aos democratas, contra 56% há quatro anos.

Fonte: The New York Times. Tradução: José Carlos Ruy

 

Homenagem a Luis Carlos Motta

 

laura

Diretora Laura de Fátima participa da cerimônia em homenagem ao Presidente do Fecomerciarios na Câmara municipal de Itapetininga.

Luís Carlos Motta presidente da Fecomércio e Deputado Federal eleito, recebe o título de cidadão Itapetiningano. Em sua fala Motta firmou seu compromisso e comprometimento com o povo brasileiro , classe trabalhadora…

 

 

Toyoda Gosei Logo

A empresa está passando por
adaptações e se posicionou favorável que
o Sindicato venha participar das inúmeras
situações que envolvam os direitos dos(as)
trabalhadores(as), entre eles, as
homologações dos(as) funcionários(as)
demitidos, respeitando o previsto na
Convenção Coletiva de Trabalho.
Entre outras situações que envolvam os
direitos dos(as) companheiros(as), a
empresa tem demonstrado uma atenção
especial para o caso da prevenção de
acidentes, buscando profissional
empenhado na qualidade de vida dos seus
trabalhadores e trabalhadoras.
Diante disso, nós da entidade sindical,
esperamos poder atender de forma
respeitável e compromissada como de
costume.

Após terceirização, Latam dispensa 1.200 funcionários em SP e no Rio

Empresa aérea terceirizou toda a operação de rampa e limpeza, gestão de equipamentos de solo e atendimento a clientes sobre bagagens

latam
A Latam Airlines Brasil informou que está reduzindo seu quadro de colaboradores nos aeroportos de Guarulhos, em São Paulo, e do Galeão, no Rio de Janeiro, em razão da transferência de toda a sua operação de rampa e limpeza (ground handling), gestão de equipamentos de solo (GSE) e atendimento a clientes com bagagens perdidas ou danificadas (Lost Luggage) para uma empresa terceirizada, a Orbital – WFS, empresa especialista nesta modalidade de serviços aeroportuários.Segundo informações do Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos (Sindigru), foram 850 demissões em São Paulo.O número foi confirmado pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac), que informa ainda outras 350 baixas no aeroporto no Rio de Janeiro.Procurada, a Latam não divulgou o número exato de demitidos, justificando que alguns colaboradores serão realocados.Em nota à imprensa, a companhia aérea diz que chegou a um entendimento com os sindicatos da categoria em Guarulhos e no Rio de Janeiro para que a empresa ofereça um pacote adicional às verbas rescisórias regulares aos funcionários que não tenham sido realocados em outras posições internas na Latam ou posições externas de empresas com as quais a Latam está trabalhando.Entre as compensações oferecidas, a empresa cita seis meses de extensão dos benefícios: plano médico, odontológico e vale alimentação e cinco bilhetes aéreos gratuitos para o funcionário e cada um dos seus beneficiários.A empresa informa que a contratação do parceiro para realizar estas operações em Guarulhos e no Galeão é uma medida pontual, que se mostrou como a melhor alternativa para as necessidades da Latam Airlines Brasil neste momento.A decisão está em linha com o mercado nacional e faz parte de uma tendência mundial de contratação de serviços especializados.“A Latam estabeleceu um sistema de gestão integrado com a Orbital – WFS para assegurar a eficiência e a manutenção da qualidade dos serviços prestados, que incluem carregamento de bagagens, traslado de aeronaves dentro do aeroporto, limpeza de cabines, entre outros”, diz a empresa em nota.Fonte: Portal R7

Aposentados podem consultar valor da primeira parcela do 13º nesta sexta (17)

Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) poderão consultar o valor exato da primeira parcela do abono de Natal a partir de sexta-feira (17), dia em que a Previdência começa a processar a folha de pagamentos do mês de agosto.

Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil

Nessa etapa, os aposentados receberão exatamente a metade do valor do benefício. O depósito sai com as aposentadorias e pensões e acompanha o calendário mensal do INSS. A antecipação do abono vem sendo feita pelo governo nos últimos anos e foi confirmada pela gestão Michel Temer (PMDB) em meados de julho. O depósito da primeira parte vem sem a cobrança do Imposto de Renda. Se o segurado estiver sujeito à tributação, ela chegará na segunda parcela, paga a partir de novembro.

No dia 27, o primeiro da folha de agosto, receberão o benefício e a primeira parcela do 13º os segurados que ganham o salário mínimo, de R$ 954, e têm o cartão terminado em 1. A Secretaria da Previdência explica que nem todos os segurados estarão com o extrato atualizado já no dia 17. Tradicionalmente, o processamento vai ocorrendo aos poucos e começa pelos benefícios iguais ao piso. No dia 27, quando inicia o pagamento, todos os segurados com direito ao abono conseguirão fazer a consulta. O calendário segue até o dia 10 de setembro. A Previdência estima que os pagamentos somem R$ 20,6 bilhões em agosto e setembro.

Valor proporcional Segurados com benefício por invalidez ou os que começaram a receber aposentadoria ou pensão a partir de fevereiro não terão o equivalente à metade do benefício. No caso dos auxílios, o INSS considera que há a possibilidade de o segurado ter alta antes do fim do ano. Por isso, ele recebe o equivalente aos meses em que teve o auxílio até o mês de agosto. A diferença é paga no corte do auxílio ou em dezembro.

Fonte: Folha SP

VOCÊ RECEBEU SEU PLR? (PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS)?.
lei-de-PLR

Companheiros e companheiras conforme (CCT) Convenção Coletiva de Trabalho do setor químico, conquistada
com muita luta, todos os trabalhadores e trabalhadoras abrangidos pela
CCT, tem o direito ao recebimento da
PLR, em duas parcelas ou em uma parcela única, ficando a critério da empresa.
Veja o valor do PLR:
Para empresas com até 49 funcionários o valor é de R$ 930,00;
Para empresas acima de 50 funcionários o valor é de R$ 1048,00.
Veja as datas de pagamentos:
Para pagamento em duas parcelas sendo cada uma de 50%, Abril/Outubro de 2018;
Para pagamento em parcela única Junho/2018.
Em algumas empresas o acordo de PLR é próprio, onde é formada uma comissão de trabalhadores com
representantes da empresa e trabalhadores sendo acompanhado pelo sindicato para discutir as metas a serem
alcançados, valores, data de pagamento, enfim, é feito um programa para recebimento da PLR através acordo.
O Sindicato é o instrumento de luta dos companheiros e companheiras, por isso conte com o S
indicato, pois a Reforma Trabalhista retirou diversos direitos conquistados e o setor patronal quer fazer isso
também com nossa Convenção Coletiva, reduzir o adicional de horas extras, reduzir o adicional noturno,
contratar com salário a partir do mínimo, e não vamos aceitar.
A contribuição sindical entrou na Reforma para enfraquecer o nosso movimento, mas os trabalhadores e
trabalhadoras da nossa base em sua maioria contribuíram com sindicato, pois sabem da nossa luta e da
importância do sindicato, fazendo com que aumentássemos o nosso número de associados e associadas, devido
a isso os trabalhadores demitidos estão exigindo a homologação com a presença do sindicato, pois até isso a
reforma nos privou, a empresa faz a demissão, gera o termo de rescisão e faz a homologação na própria
empresa, aquelas empresas corretas e compromissada com o que é certo, seus representantes continuam
realizando as homologações no sindicato.
Fortaleça nossa luta, fique sócio ou sócio do seu sindicato para que possamos lutar pelos seus direitos, pois
existe uma avalanche de retirada de direitos, e se não estivermos juntos para nos defendermos, o setor patronal
fará da forma que bem entender, aí perderemos o controle e ficaremos a mercê dos patrões mal intencionados.
Sindicato mobiliza trabalhadores da Comarplast para garantir direitos
Na manhã de ontem (19), o Sindicato dos Químicos de Itapetininga e Região esteve presente em frente às dependências da empresa Comarplast, em Capão Bonito/SP.
A empresa vinha descumprindo a Convenção Coletiva, obrigando os trabalhadores a trabalharem nos sábados e domingo pagando 50 Reais pelo dia.
Lembramos que, trabalhar  aos sábados garante adicional 110 % para dias não compensados.
Estamos de olho. Denuncie, pois juntos somos mais fortes!
greve1903
Químicos entregam Pauta de Reivindicações dos trabalhadores das usinas e destilarias de etanol aos representantes patronais
“Temos que manter a unidade de ação contra os impactos da reforma trabalhista nos direitos dos trabalhadores. Estamos na luta por medidas que fortaleçam as estruturas sindicais com o objetivo de equilibrar o processo de negociação coletiva, valorizando a autonomia das negociações e preservando direitos.”
Sergio Luiz Leite, Serginho
Presidente da FEQUIMFAR e
1º secretário da Força Sindical
Na manhã de ontem, dia 6 de março, após assembleias gerais realizadas com a presença de dirigentes da FEQUIMFAR e Sindicatos filiados, foram aprovadas as Pautas de Reivindicações da Campanha Salarial e Social tanto do setor industrial farmacêutico, quanto do setor industrial de fabricação de etanol.

Entrega da Pauta (setor etanol)

Após aprovação em assembleia, a Pauta de Reivindicações da Campanha Salarial e Social dos trabalhadores do setor industrial de fabricação de etanol foi entregue aos representantes patronais da UNICA (União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo).

A Campanha Salarial nas usinas e destilarias que produzem etanol, no estado de São Paulo, teve início no dia 5 de fevereiro, quando no Seminário de Negociação Coletiva, realizado em Praia Grande, os representantes dos mais de 30 mil trabalhadores deliberaram a Pré-Pauta de Reivindicação da categoria.

Aprovadas pelos trabalhadores em assembleias nas bases, as reivindicações incluem:

Reajuste: 2% de aumento real + INPC/IBGE
Piso (Salário Normativo): R$ 1.630,00
Piso para Técnico Químico: R$ 3.048,70
PLR: 2 Salários Normativos
Manutenção das demais cláusulas

A data base da categoria é 1º de Maio.

“Vamos fortalecer nossa unidade de luta na Campanha Salarial com os setores da alimentação, motoristas e rurais, aumentando nossa mobilização em todo o estado de São Paulo.”
Jurandir Pedro de Souza,
tesoureiro geral da FEQUIMFAR e
presidente do Sindicato dos Químicos de Itapetininga e Região

“Nesta Campanha, precisamos unir esforços a fim de fazer uma boa negociação, mantendo direitos já conquistados e avançando nos reajustes salariais e na PLR.”
Edson Dias Bicalho,
secretário geral da FEQUIMFAR e
presidente do Sindicato dos Químicos de Bauru e Região

entrega-pauta-etanol-2018

 

STI Químicos de Itapetininga presentes em mais uma edição  do projeto Verão Sem Aids em Praia Grande e Ilha Comprida

No sábado, dia 03 de fevereiro, dirigentes do Sindicato Químicos de Itapetininga e Região estiveram presentes em mais uma edição do projeto Verão Sem Aids, realizado pela Fequimfar (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de São Paulo) e Sindicatos filiados, com o apoio da CNTQ (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Químico), Força Sindical São Paulo e prefeitura das duas cidades.

Durante toda a manhã os dirigentes distribuíram kits contendo materiais informativos e de prevenção.

Praia Grande
Os diretores Gustavo, Margareth e Mário, estiveram presentes no evento realizado na cidade de Praia Grande.

Ilha Comprida
Já os diretores Laura, Ana, Paula e Josemar marcaram presença na ação realizada em Ilha Comprida.
A campanha foi realizada em conjunto com departamento de saúde do município.

A campanha de conscientização e prevenção tem o objetivo de levar as informações sobre as formas para evitar o contágio da doença, bem como informações sobre teste do HIV, tratamento e colabora com a promoção da solidariedade com as pessoas que vivem om HIV/AIDS.

praia1

praia2 praia3 - Copy praia4 praia5 - Copy praia6 - Copy praia7 - Copy praia8 - Copy praia9 - Copy praia10 - Copy praia11 - Copy praia12 - Copy praia13 - Copy praia14 - Copy praia16 - Copy praia17 praia18 praia19 pria15

 

Unidade dos Químicos da FEQUIMFAR/Força Sindical e FETQUIM/CUT garante reajuste de 100% do INPC

FEQUIMFAR amplia Colônia de Férias e inaugura novo auditório

São mais 14 apartamentos em parceria com Sindicatos filiados e um novo e moderno auditório com capacidade para 180 pessoas

Nesta quinta-feira, dia 23 de novembro, a FEQUIMFAR (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de São Paulo, entidade filiada à Força Sindical e CNTQ – Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramos Químico) inaugurou o novo auditório e mais 14 apartamentos da Colônia de Férias dos Químicos, em Praia Grande, litoral de SP.

“No mesmo momento em que a classe trabalhadora sofre com ataques a direitos duramente conquistados ao longo dos anos, os Químicos da Força garantem mais uma grande conquista aos seus representados. A ampliação da Colônia de Férias é mais um avanço, prova da união de esforços entre a FEQUIMFAR e Sindicatos filiados na luta pela valorização do patrimônio da entidade em benefício das categorias representadas. Estamos dando mais um passo rumo ao futuro.”
Sergio Luiz Leite, Serginho
Presidente da FEQUIMFAR e
1º secretário da Força Sindical

A inauguração dos novos espaços foi realizada ontem, dia 23 de novembro, com a presença de lideranças sindicais dos Químicos da Força e também de outras categorias da Baixada Santista e região.

Edson Dias Bicalho, secretário geral da FEQUIMFAR e presidente do STI Bauru, coordenou o evento, que teve teve mesa de abertura com a participação da companheira Eunice Cabral, presidente do Sindicato das Costureiras de SP e Osasco e vice-presidente da Força Sindical, representando a Central, Jurandir Pedro de Souza, diretor financeiro da FEQUIMFAR e presidente do STI Itapetininga, Antonio Silvan Oliveira, presidente da CNTQ e do STI Guarulhos, e Herbert Passos, coordenador nacional da SNQ e presidente do STI Baixada Santista.

Na fala de cada dirigente, foi relatado o histórico de união de esforços das lideranças da FEQUIMFAR e Sindicatos filiados, desde o SOS Federação, por melhorias e avanços para a categoria química no estado, com lutas que vão desde a negociação da Convenção Coletiva até conquistas de benefícios como sede própria, áreas de lazer, cursos, convênios, entre outros.

Novas instalações

“O auditório tem capacidade para 180 pessoas e conta com uma infraestrutura moderna, com sistema multimídia. Ele abriga um ambiente moderno e confortável, ideal para a execução de eventos como congressos, seminários e cursos de formação”, explica Edson Dias Bicalho, secretário geral da FEQUIMFAR e presidente do Sindicato dos Químicos de Bauru e Região.

Além do novo espaço, foi ampliado o número de apartamentos disponíveis aos associados: são 14 dormitórios equipados com banheiro privativo e TV. Os novos quartos foram construídos em parceira com os Sindicatos dos Químicos de Araçatuba, Bauru, Itapetininga, Itatiba, Ribeirão Preto, São Carlos, São José do Rio Preto e Sorocaba.

“A luta sindical vai além das conquistas econômicas, como reajustes salariais e PLR. Considerando todo o trabalho e esforços conjuntos entre dirigentes da FEQUIMFAR, Sindicatos filiados, CNTQ e Força Sindical, destacamos que a contribuição de cada trabalhador é revertida em lazer, bem-estar, educação, formação, saúde, segurança, além de ações sindicais e negociações coletivas, entre tantos outros aspectos que buscam condições por uma vida mais digna e justa. Sendo assim, e 2018, nossa prioridade maior será intensificar as negociações coletivas de trabalho, em vista que a nova lei trabalhista amplia o poder da prática, bem como fortalecer o sistema de custeio a fim de que seja mantida toda a estrutura sindical – Sindicatos, Federação, Confederação e Central”, disse Serginho.

 

“Unidade dos Químicos da FEQUIMFAR/Força Sindical e FETQUIM/CUT garante reajuste de 100% do INPC (1,83% foi o INPC acumulado na data-base 1º de novembro de 2017) para salários, Pisos e PLR. Além disso, mantivemos todas as cláusulas sociais pré existentes. Este é um importante acordo, visto que amanhã, dia 11 de novembro, entra em vigor a nova lei trabalhista, que possibilita a  redução de direitos e tenta enfraquecer o Sindicato, dificultando seu custeio. Saímos fortalecidos para enfrentar os desafios impostos pela nova lei!”

Sergio Luiz Leite, Serginho
Presidente da FEQUIMFAR e
1º secretário da Força Sindical

fetquim

No dia 7 de novembro, dirigentes da FEQUIMFAR/Força Sindical da FETQUIM/CUT, juntos às lideranças dos Sindicatos filiados, assinaram a CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) do Setor Químico/Plástico.

Principais conquistas:

– Reajuste Salarial: 1,83% (INPC acumulado na data-base 1º de novembro de 2017)

– Piso Salarial:

Para trabalhadores em empresas com até 49 empregados
A partir de 1º de novembro, o piso normativo será de R$ 1.496,42

Para trabalhadores em empresas com mais de 49 empregados
A partir de 1º de novembro, o piso normativo será de R$ 1.535,00

– PLR mantida na Convenção Coletiva de Trabalho
Reajuste de 100% do INPC (a ser aplicado a partir de 01/11/2017)

Para trabalhadores em empresas com até 49 empregados
PLR de R$ 947,02

Para trabalhadores em empresas com mais de 49 empregados
PLR de R$ 1.048,85

 

Diretora o STI Químicos de Itapetininga assume secretaria da mulher da Força SP

laura-santos

A diretora  financeira do Sindicato dos Químicos de Itapetininga e coordenadora do departamento de mulheres e identidade de gênero da Federação dos Químicos, Laura Santos, assumiu a Secretaria da Mulher da Força Sindical São Paulo.

“A FEQUIMFAR e Sindicatos filiados desejam sucesso nos trabalhos e atividades que virão, na certeza de que a companheira Laurinha terá total apoio dos Químicos da Força em suas ações sempre no objetivo maior de valorizar as trabalhadoras, na busca por um país com igualdade de oportunidades para mulheres e homens.” Sergio Luiz Leite, Serginho Presidente da FEQUIMFAR e 1º secretário da Força Sindical